http://www.adepbahia.org.br/Noticia/10112/ADEPBA-participa-da-posse-de-novas-Defensoras-e-Defensores-Publicos-na-UPB

Comunicação

Notícias

30/05/2024

ADEP/BA participa da posse de novas Defensoras e Defensores Públicos na UPB

ADEP/BA participa da posse de novas Defensoras e Defensores Públicos na UPB


 
Foi realizada nesta quarta-feira (29), na União dos Municípios da Bahia (UPB), a sessão de posse das novas Defensoras e Defensores Públicos do Estado. 
Durante o evento, a presidente da Associação de Defensoras e Defensores do Estado da Bahia (Adep/BA), Tereza Almeida, deu as boas-vindas aos 12 novos profissionais que irão integrar à instituição.
Durante sua fala, a presidente parabenizou os empossados e suas famílias, que estavam presentes no evento. Tereza Almeida também aproveitou a oportunidade para relembrar o atual cenário da Defensoria no estado. “Na quase totalidade das Defensorias estaduais, a Constituição Federal é respeitada. Infelizmente, na Bahia, estamos há quase uma década pleiteando o seu cumprimento. A nossa situação encontra-se grave, estamos  sem o tratamento simétrico com as carreiras do sistema de Justiça ”, disse.
Para a presidente da ADEP/BA, todos os percalços que a classe tem enfrentado para que o Governo do Estado e o Poder Legislativo assegurem os seus direitos trata-se, justamente, por um desconhecimento de que quando a Defensoria Pública é enfraquecida quem se fragiliza mais ainda é o povo vulnerável e empobrecido.
“A quem interessa tanta desconsideração com as causas dos Defensores, das Defensoras, da Defensoria e da população oprimida de nosso Estado? Por que estamos tendo tanta dificuldade em assegurar que as nossas questões sejam tratadas com a prioridade que o caso requer, já que cada dia que um Defensor Público fica parado, por conta da greve, são incontáveis os prejuízos que advém à população e à expressão da cidadania, no Estado e no país?”, questionou Tereza Almeida.
Paralisados desde o dia 15 de maio em reivindicação a aprovação do PLC 154/23, que assegura a reestruturação da carreira da classe e simetria com outras carreiras do Sistema de Justiça, 70% da categoria aderiu a greve da categoria, em cumprimento à legislação que determina o funcionamento de 30%.

Outras Notícias