A ADEP - História

A Associação dos Defensores Públicos do Estado da Bahia (Adep-BA) foi fundada em 1º de outubro de 1985, antes da regulamentação da tríplice autonomia da Defensoria Pública da Bahia. Por conta disso, chamava-se Associação dos Advogados da Coordenadoria de Assistência Judiciária, sob a sigla Amcaj, e tinha sede no mesmo prédio da coordenadoria, na Rua Boulevard América, nº 220, no Jardim Baiano.

O presidente-fundador foi o então defensor Genaldo Lemos Couto, que também foi o primeiro defensor geral, a quem coube elaborar o regimento da associação, o qual foi submetido à Assembleia Geral Extraordinária em 3 de outubro deste mesmo ano, dois dias após a data-marco de sua fundação. A composição da primeira diretoria da associação que reuniu a classe de advogados que passariam a ser considerados defensores públicos foi: Presidente: Genaldo Lemos Couto, Vice - Presidente: Sonia Maria Carvalho de Santana, Secretária: Nívea Castelo Branco Fahiel, Tesoureiro: José Manoel Bloise Falcon. A diretoria foi eleita e empossada imediatamente, durante esta AGE.

Em janeiro de 1986, devido à promulgação da Lei nº. 4.658/85, que instituiu a Defensoria Pública do Estado da Bahia, publicada no Diário Oficial do Estado em 07/01/1986, a diretoria da Amcaj se reuniu com a finalidade de analisar e deliberar sobre o Estatuto da Associação dos Defensores Públicos do Estado da Bahia, transformando a Amcaj em Adep-BA. Nesta mesma oportunidade, o Estatuto da Adep-BA foi lido e referendado pelos associados.

Em 1993, a diretoria da Adep-BA, sob a presidência do defensor público Érico Novais Penna, nomeou uma Junta Governativa que aprovou a regularização da situação jurídica da Adep-BA. A junta foi formada pelos defensores públicos Érico Novais Penna, Osman Bagdêde, Jomar Moraes e José Roberto Cidreira. A Adep-Ba foi registrada junto ao 2º Cartório de Títulos e Documentos, aprovando o ingresso de mais associados, e determinando que a contribuição social só seria efetuada após a aprovação do Estatuto, o que ocorreu em posterior AGE.

Na época, apenas uma chapa se inscreveu para disputar as eleições da Adep-BA, sendo presidida pela defensora Maria Betânia Ribeiro Ferreira, tendo como vice-presidente a defensora Liliane Miranda do Amaral, e como tesoureira a defensora Nívea Castelo Branco Fahiel, tomando posse em 27.11.98.

Um novo estatuto, com o objetivo de democratizar a gestão da Adep-BA, foi aprovado pela classe no ano 2000, em assembleia presidida pelo defensor público Raul Palmeira. Dois anos mais tarde, em 2002, a defensora púbica Tereza Cristina Almeida Ferreira é eleita presidente da Adep-Ba, que foi reeleita e permaneceu no cargo até o final do biênio seguinte. Em 2003, foi registrado em cartório o Estatuto vigente. Nos biênios 2006/2007 e 2008/2009 a defensora pública Laura Fabíola assumiu a presidência da associação. Em seguida, 2010, o defensor público Claudio Piansky a sucedeu, sendo seguido por Soraia Ramos Lima, em 2012, por Ariana Sousa em 2014, por João Gavazza em 2016 e Elaina Rosas em 2018. A atual gestão (biênio 2020/2022) está sob o comando de Igor Raphael de Novaes Santos e sua chapa "Diálogo e força para um novo tempo."

Clique aqui e veja composição completa das diretorias da ADEP-BA em gestões
anteriores, bem como um histórico mais detalhado.

Central do Associado

Associe-se

Clique Aqui